2ª Corrida da Saúde de Pau da Lima

É, meus caros, eu fui! A gente tende a subestimar corridas pequenas, com medo de desorganização, de ter nossa estratégia atrapalhada ou de simplesmente ter nosso planejamento de corridas prejudicado. Mas sinceramente, o quão egoístas estamos sendo de subtrair esses fatores, digam-se de passagem irrelevantes, para quem não é um atleta de elite e esquecer que correr é por um tênis, curtir o percurso ou aprender com sua dificuldade, se comover com pessoas que não peidam ante tamanho desafio e no final, vibrar se conseguir algo além de completar a sua planilha/treino livre ou prova?
Só achei esse lugar que fizesse o bairro sem lembrado nas fotos.
Foi esse o sentimento de hoje. Corridas baratas ou as ditas "de bairro", assim como qualquer evento sem grandes "butiques" e patrocínio por trás sempre me deixam com um pé atrás, mas relevo os tais poréns e me divirto, comovo e no caso de hoje, vibro!

A II Corrida da Saúde do Pau da Lima ocorreu exatamente dentro do esperado. Cheguei as 6h40 (largada marcada para 7h30), vi poucos atletas com os números e imaginei: essa galera vai deixar para se inscrever agora. O que me assustou mais e quase deixa minha corrida triste era o número de atletas elite das provas de lojas e marcas todos lá. Quase 100 corredores e pelo menos 50 atletas elite; os PM, os bombeiros, os atletas de grupos de corrida comunitários, além dos atletas humildes  e veteranos que treinavam desde antes de corrida ser moda e hoje deitam e rolam sobre os mais novos. Realmente os desleixados deixaram para se  inscrever na hora, mas o atraso foi de apenas 35' e nada foi deixado a desejar por policiamento e ambulância quando a largada foi autorizada pela staff. Barril mesmo foram os mais de 30ºC por todo o percurso quase que sem sombra.

Cheios de medalhas.
Queria ter tirado fotos bacanas, mas ela vai ser a corrida que quero mais na memória que nas redes.  Torço para que iniciativas assim perdurem e que bairros mais humildes de Salvador continuem levando o esporte para eles. Houve premiação por categoria geral, por idade (de 10 em 10 anos), sexo e atletas do bairro e todos os primeiros lugares ganharam um valor simbólico em cash, além de um dos patrocinadores ter dado uma cama box para sorteio. Foi uma prova onde todo mundo ganhou medalhas finisher, e quase todo mundo a de colocação, como eu e Marizinha e troféus como os primeiros lugares de todas as categorias, e os três primeiros das principais categorias da prova. Uma lição dada por uma prova que cobra apenas R$20 e dá muito mais que as provas de R$70, R$80... Uma prova onde vi que quantidade não é qualidade; participantes cravando 18' nos 5k com duas ladeiras assassinas, onde fui segundo da categoria mesmo com 32' numa prova que não é o meu forte, sendo obrigado a reduzir a marcha nas ladeiras para terminar a prova pelo menos. Onde a polícia fez o esquema de cortejo, com batedores fazendo o papel de marcadores de ritmo para os primeiros e segurando o trânsito atrás do último, sem detonar o trânsito local. Onde as pessoas das comunidades humildes como Sete de Abril, Canabrava e São Marcos nos apoiaram mais que os "corredores" de Barra, Rio Vermelho e Jardim de Alah e sim, não me arrependo de ter feito a prova embaixo do sol mesmo sendo um dos poucos ali que não era elite, realmente comendo poeira desses monstros que tanto nos orgulham e inspiram.

Infelizmente, a desorganização da staff, muito pequena e empolgada com o sucesso do evento pecou. Faltaram frutas para os últimos colocados, a água foi quente até para os finisher que tiveram que se acabar nas pedras de gelo que estavam dentro do isopor e a demora para computar os resultados de quase 100 corredores foi maior que a da FBA para os 600 da Corrida Sagrada que usou o mesmo mecanismo de senhas em sacos de plástico. Mas é isso aí. Vai ficar na memória como os 5k mais difíceis de Salvador e espero mais provas desse nível para fazer as provas de Jardim de Alah e Barra fáceis para mim e Marizinha. 

Fim de semana que vem farei um post sobre o regime de treinos que tenho feito. Meus objetivos com Marizinha, como temos lidado com isso, alimentação entre outros. Vai ser mais um que vai para a lista dos populares. Obrigado por me acompanhar, sintam-se a vontade para comentar, o que não entendo por que não fazem dado o número bacana de visitas... Até mais!

Comentários

  1. Nossa Ivan que lindo seu post. São provas como essas que nos fazem questionar porque se cobra tão caro para organizar uma prova.
    Você tem me estimulado a fazer as provas da FBA, espero participar de alguma logo logo. Temos que não só participar, mais fazer post e mostrar pras pessoas que não existem apenas os circuitos famosos, caros e que pouco cuidam e promovem o atleta.
    Parabéns, aguardando seu próximo post.
    Ah sábado estava correndo e vi a tenda do seu grupo de corrida no Jardim de Alah, quase me aproximei pra perguntar se você estava por lá para nos conhecermos pessoalmente. Da próxima vez não ficarei apenas no pensamento, executarei.
    Bons treinos e até o próximo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc. Temos que abrir mão da vaidade e fazer alguns sacrifícios. Quando fui me inscrever para essa prova tinha um rapaz que pegara sete camisas para amigos e mencionara que os amigos achavam o acesso e o estacionamento ruim. Para tudo dá-se um jeito. Tenho ido pouco para BreakIt. Tô treinando minha garota para uma prova física e os horários dela não batiam com os meus se não abrisse mão de lá. Aprendi bastante, sentirei falta do funcional, mas também tem as provas chegando... Ou pago a grana do grupo ou corro duas, três provas por mês: conta injusta para quem é pobre. Um beijo!

      Excluir

Postar um comentário

Seus comentários e visitas me inspiram muito sempre que corro: bons treinos, provas e mudanças de vida para vocês também. Thanks!