Golden Four - Os 21 da Asics e de quem mais quiser


São 47 provas no currículo sendo seis meias e ainda me pergunto se tendo feito alguns dos maiores nomes do cenário nacional e quase todos os possíveis de Salvador se ainda vou me sentir encantado por uma prova como me senti ano passado com a Mizuno Half Marathon Series em minha cidade, ou a Corrida Mundial Wings for Life em Florianópolis, ou a Maratona do Rio de Janeiro e esse fim de semana, na etapa carioca da Golden Four, pude testemunhar algo que me faz dizer para vocês que se as empresas quiserem e nós nos organizarmos, teremos SIM provas melhores que comecem a fazer os seus centavos e sessões de tiros/longões valerem a pena desde os emails da semana da prova até a hora de retirar o kit, sem nem precisar começar o seu aquecimento no dia D.

A ideia de fazer a prova foi ter uma coisa desafiadora para fazer em meu aniversário. Com os treinos, o tempo na meia maratona já deveria ter caído há bastante tempo, mas duas lesões em vésperas de provas do tipo me impediram de seguir crescendo para confortavelmente vencer minuto por minuto das marcas antigas. Dessa vez a novela das lesões não foi diferente, mas como há quatro semanas já tenho treinado normalmente, agradecer a Deus na terra do Cristo por ter pernas para correr e sobriedade para lidar com minha saúde foi pelo menos "completável" nesse fds, diferente da meia da Mizuno onde fui lesionado mesmo, cometendo o pecado que muitos atletas metidos a besta cometem.
Expo da entrega de kits
Cheguei ao Rio Sábado mesmo e com a cidade toda quebrada pelas obras urbanas para as Olimpíadas que estão expandindo nossos olhares para os lados da Barra e Recreio (opostos aos manjados Copacabana, etc...) de engarrafamentos em engarrafamentos, chegamos ao Royal Tulip em São Conrado para a expo de entrega de kits mais completa que já vi com teste de velocidade máxima em tiro, de pisada, feira de produtos top e stands das melhores marcas de revistas, gps, suplementos e óculos de corrida. Ganhamos um kit lanche também que preferi ignorar, já que não tenho comido pão há bastante tempo. Foi tudo rápido e parti para o local da largada, já que como a Asics disponibilizou ônibus levando de volta para lá, foi mais inteligente ficar na largada e não na chegada como sempre faço ao viajar.
Antes do aquecimento para a largada no Recreio. 
A largada por baías de ritmo e ondas (grupos rápidos largando 10 minutos antes de grupos mais lentos) funcionou bem demais e vimos poucas invasões, além de, é claro, aqueles que declaram tempos que acham que vão conseguir fazer, mas ficam pelo caminho. Pus na inscrição que faria 1h50, por não saber como estava fisicamente e cheguei abaixo disso, pondo fim a várias interrogações que apareceram em minha cabeça quanto a efetividade dos treinos x a minha dedicação neles para colher resultados. 
Kms iniciais da prova

A ideia era manter os 5'/km inicialmente e ir crescendo, diferente da Meia da Caixa em Salvador onde mantive o ritmo constante e também fechei para 1h46. Consegui crescer até o km16, abaixando as parciais perto do programado pelos coaches e adaptado por mim, mas a força no Elevado do Joá para manter o ritmo do plano na subida me fez ver que ainda há muito a se aprender nos treinos de inclinação e as câimbras ameaçavam a mecânica, me tirando tudo conquistado após 3km feitos acima dos sub 5' que fizera todas as voltas até aquele momento de prova. A ideia passou a ser administrar o esforço para não travar de câimbras no chão e tentar não deixar os ponteiros passarem demais do ritmo do RP antigo e guardar as forças para alguma meia totalmente plana ou para quando eu tivesse melhor fisicamente para uma corrida com variação altimétrica como essa.

Hora da caimbra: Joá

Saindo do Joá, só administrando.
Não sou muito fã de correr naquela parte do Rio de Janeiro. Realmente as tradicionais prais da zona sul embelezam tudo e o calor humano de lá é o que faz o RJ ser lembrado como uma boa praça esportiva. A parte da reserva ambiental da Barra da Tijuca é repetitiva e concentrar-se apenas em sua mecânica e no gps se torna um grande desafio. Quando corremos com aquela galera gritando e dizendo seu nome (parte inexistente em provas como a Golden que não poem nomes nos números de peito) vc acaba crescendo em trechos que tendem a ser torturantes devido ou a seu cansaço ou a falta de belezas naturais (coisa que faz pouca diferença para a elite, mas anima bem quem corre nesses números nada fora de série como os meus).
Só tem graça com ela junto. Foto em São Conrado, chegada.
A Asics ainda nos disponibilizou as fotos da prova gratuitamente, o que não quer dizer que eu não vá esperar as do Olho no Atleta e Foco Radical. Esse mimo das empresas que organizam as provas é um ganho e tanto para a gente que quer provas inesquecíveis como essas registradas também fora de nossas mentes. Curtir o Rio mesmo foi só após a prova... erros gástricos e caminhadas típicas de turistagem foram deixadas para depois para não complicar o motivo inicial da viagem. A foto com o Cristo, um chopp gelado na Urca e uma longa caminhada na Orlas super seguras e bonitas do Recreio e da Barra completaram o fim de semana do meu vigésimo sexto aniversário.
Mission accomplished.
Agora é trabalhar o observado nesse meu retorno às longas distâncias para revisar os treinos para as duas maratonas que pretendo completar esse ano e blindar o corpo para as provas consecutivas que virão; calendário apertou!!! Esse fim de semana viajamos para Juazeiro para outra Meia Maratona e 3 de Maio temos a Wings for Life acontecendo simultaneamente em mais de 40 cidades e estarei em Brasilia para rodar ao menos 25k. Ainda há tempo de se inscrever.
Grande Jorge também falando da G4 em seu blog:
 http://www.jmaratona.com/2015/04/competicao-n-346-v-meia-golden-four.html
Grande abraço a todos e em especial aos feras da equipe que correram no Chile e na França nas maratonas desse fim de semana, o grande treinador Renato Maia que mais uma vez cravou top 100 da prova e o grande Jorge Ultramaratonista que reconheceu nossa camisa verde na feira e não deixou de registrar com um selfie. Uma honra ver que a equipe é reconhecida fora da cidade e saber que os atletas que nos representam guardam suas lembranças de superação vestindo a mesma camisa que eu: é orgulho demais de tanta determinação e pouco mimimi. Prazer treinar com vocês.

ABRIL
26/04 – 2ª Corrida da Integração (5 e 15k) – Circuito Baiano de Corridas de Rua
Inscrições R$40 (atletas federados) e R$50 (não-federados) na FBA e em site divulgado na página da instituição.
MAIO
01/05 – 34ª Corrida Raimundo Baltazar da Silveira (8k) – Circuito AVAB
Inscrições R$40 na FBA a partir da data de abertura, mais próxima ao evento.
10/05 – 2ª Corrida pela Educação (5k)
Inscrições duas latas de leite na FBA pela tarde e na APLB em Nazaré dia todo.
JUNHO
14/06 – 5ª Meia Maratona Caixa da Bahia (5, 10 e 21k)
Inscrições no site: http://www.sportpass.com.br/Meia-Maratona-da-Bahia a partir de 85 reais.
21/06 - 33ª Corrida Riachuelo (5 e 10k) – Circuito Baiano de Corridas
Inscrições R$40 (atletas federados) e R$50 (não-federados) na FBA e em site divulgado na página da instituição, ainda não iniciadas.
28/06 – Circuito de Corridas Caixa (5 e 10k)
Inscrições a partir de R$45 no site:http://circuitocaixa.com.br/#salvador

Comentários

  1. Parabéns pela prova. Realmente estas meias organizadas pela ASICS dão show.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que eu possa fazer mais dessas. Valeu, Roberto!

      Excluir
  2. Ivan acho que nem precisa falar mais nada, vc ja disse tudo aqui amigo...Foi um prazer conhecer vcs, pelo seu relato aqui no blog e as fotos no face da para ver que vc gostou muito do Rio e da prova...Volte mais vezes...E espero que nas proximas vc nao sinta mais caimbras, estou na torcida por vc..Parabéns pela prova, pelo relato e obrigado por ter falado de mim aqui no Blog...Boa recuperação e que venham novos desafios.
    Parabéns pelo seu aniversário que Deus te abençoe e te ilumine...Felicidades.

    Jorge Cerqueira
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É corrigir os erros e focar nas próximas. Não faltarão provas para eu experimentar novas maneiras de vencer. Valeu, Jorge!

      Excluir

Postar um comentário

Seus comentários e visitas me inspiram muito sempre que corro: bons treinos, provas e mudanças de vida para vocês também. Thanks!