Corrida do Trabalhador e countdown para a WFL Santiago

Sabem aquelas vésperas de eventos importantes que dão vontade de fazer nada além de se trancar numa bolha dormir e esperar chegar o dia D? Sou eu para a Wings for Life que faremos dia 8 no Chile. Quem me conhece sabe que não dou migué em treino e até brigo se aparecerem regenerativos e OFF demais na planilha. Além disso, com um plano iniciado em Novembro para não entrar no field desnutrido como pareci na Wings do ano passado, por mais que eu diga que o dia será um mar de rosas, a mente, no fundo, cobra que tudo dê EXATAMENTE como planejado, devido a não ter negligenciado etapa alguma da preparação. Adotei algo importante para as duas provas alvo desse ano: longo prazo. Adicionando um ou dois meses aos treinos específicos eu ganho além de todos os benefícios físicos, bastante confiança.

Km1 por Edson Magoolin
Antes dela, veio o velho e amado Circuito AVAB. Foram mais 5 milhas da Corrida Raymundo da Silveira, na Ribeira, prova que já participara mais duas vezes e perdi ano passado exatamente devido a viagem para a Wings for Life, naquele dia em Brasília. Substituí os tiros de quarta pelo estímulo anaeróbico que essa corrida, geralmente em ritmo frenético, me proporcionaria. A semana fora bem complicada vendo os últimos acertos para a viagem; alimentação ruim, treinos mal feitos e o corpo cobrou um pouco na largada. Saímos forte, pq em provas com poucos participantes, você obrigatoriamente larga na elite e em 3km tive o velho feeling de que algo iria errado... sabem aquelas horas em que parece que estamos a 20kph em sprint final, mas na verdade estamos em modo cruzeiro na confortável Z2 e o corpo reagindo como Z4? Mas a experiência e conhecimento do percurso permitiram retraçar estratégias rápidas para não "cair duro" e nem fazer a prova malfeita. Fiquei em 42 dos quase 200 homens, teria ganho umas dez posições se fizesse o que estava preparado para fazer, mas na corrida sempre prevalece o velho "acordar num bom dia". O visual vermelho, repreendido nos dias atuais brasileiros, é para firmar a bela parceria que a escola de idiomas em que ensino me propôs. Bom demais ter oficializada a torcida deles por mim. 

Surge um novo nome no atletismo da cidade: Moacir. By Edson Magoolin.
A AVAB dessa vez teve o apoio da Academia Leal e outros parceiros. A organização em comparação a muito criticada Corrida do Itaigara em Fevereiro teve um upgrade impressionante. Os veteranos, em defesa, criticaram os excessivos pipocas da prova realizada na área nobre da cidade. Dessa vez, na Cidade Baixa, incomparavelmente mais carente de poder aquisitivo em relação a prova anterior, vi muito poucos, o que facilitou para que hidratação, segurança e outros itens não fossem falhas nesse dia. Tal fato me deixa um pouco confuso em relação a quem realmente "lesa" a organização dessas provas: se há um público dominante na prática da "pipocagem", se realmente é o velho mal do brasileiro em tirar vantagem de tudo, ou se esse Domingo foi um em um milhão onde as coisas deram certo. Para terminar de revisar, a largada se deu praticamente no horário e a chegada foi meio conturbada, devido ao trânsito aberto e a termos de entregar nas mãos de motoristas com pouca noção ou realmente de má índole que desrespeitavam o uso simultâneo da via para uma prática esportiva. 

Chegada embalado pela mesma via da largada by Edson Magoolin.
Curti a rapidez da premiação e também a socialização com os amigos que dominam essas provas gostosas cheias de espírito esportivos que compõem a base do calendário de provas em SSA. Meu primo Moacir vem mostrando trajetória similar a de Djane e já busca lugares no pódio geral, coisa que era impossível imaginar dado o alto nível de competitividade no masculino e também a seu pouco lastro esportivo. Perdi a faixa por esse tal nível de competitividade, mas a sensação de estar abaixo do que realmente sou para as provas curtas me deixou mais jururu do que perder para as ferinhas que largaram bem e fizeram tempos abaixo das minhas médias em dias que acordo melhor. A chave vira em direção a Santiago e nunca me vi tão motivado por uma causa como esta de agora. Essa energia que se esgota nunca mesmo com alguns anos de esporte e muito mais do mesmo que é o segrego para se manter ativos... trabalhem essa energia de vocês também e os frutos serão colhidos por muitos e muitos anos.

Comentários

  1. Amigão Bruno:
    Lendo esses seus comentários bate uma saudades das minhas apaixonantes Corridas,mas ao mesmo tempo me deixam feliz por ver o quanto você leva a sério esse Esporte tão gostoso.
    Querendo Deus,logo estarei de volta,começando por pequenos percursos,pois o periodo de inatidade foi longo,e o problema de saúde foi altamente sério.(lembra quando nos conhecemos,eu na Meia Maratona,você e a Mariana nos 5 Km) agora as ordens se inverteram e vocês é que estão voando baixo.
    Mas,esse Deus que nunca me abandonou,e nunca irá me abandonar,me dará forças para recomeçar.
    Saudades e um grande abraço para você,Mariana e Família,viu?
    Jorge Cerqueira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, seria uma volta no tempo correr contigo novamente. Saudades, Jorge. Lembro daquele nosso reveillon com nostalgia.

      Excluir

Postar um comentário

Seus comentários e visitas me inspiram muito sempre que corro: bons treinos, provas e mudanças de vida para vocês também. Thanks!