A Salvador 10 Milhas veio pra ficar?

Largada no Rio Vermelho
Tem tempo que quero uma prova para me apaixonar em Salvador. As vezes temos percursos cênicos e falta um kit inesquecível ou até mesmo uma medalha digna do investimento pessoal e financeiro. As vezes, eles nos brindam com um percurso que nos faz sonhar com a medalha e com o pós-prova, onde uns se deliciam com uma cerveja bem gelada e outros comem algo bem fora da Bíblia esportiva, mas aí falham na hidratação da prova, ou atrasam a largada por 1001 desculpas. Os que conseguem fazer algo mais perto do perfeito, nos engessam num bate e volta cercado por prédios, cones e trânsito parcialmente fechado onde passantes nos desejam todos os males e empresários nos cobram mundos e fundos para nos tratar mais como consumidores de um produto que de um esporte. Na Salvador 10 Milhas desse fim de semana, mais um trabalho do dedicadíssimo Jardel Moura, fomos coroados por vários dos aspectos positivos que mencionei acima e enfatizarei muito mais o que houve de bom que as pequenas falhas para nos inspirar na hora de ano que vem escolher essa prova como um elo entre os já não tão desafiadores 10k e os 21 ainda impossíveis para alguns. 
 
Senti falta de um muralzão alusivo aos pontos turísticos para essa foto ficar perfect!
A entrega do kit começou na Sexta as 15h, em um grande shopping (ponto positivo)... A claustrofobia da loja e a entrega do kit lenta (em parte pela desorganização dos atletas) foram pontos ruins. O kit teve uma camisa bonita e MEIAS!!! Fiquem maravilhado! A mochila esteve em falta no começo da entrega, mas o problema foi remediado no mesmo dia e até após a chegada da prova alguns atletas puderam pega-la. Paguei cerca de 60 reais nessa inscrição num lote promocional de Feveiro. Com inscrições sendo abertas tão cedo, cada vez mais ou nos inscrevemos em provas e somos forçados a aborta-las ou deixamos para cima da hora e pagamos as vezes 50% mais caro que o valor de lote inicial: triste dilema... Já passei por ambos os casos. Acho o valor justo, ainda mais se a hidratação for abundante, a camisa leve (não posso comentar, pq doo quase todas) e a medalha bonita. No caso da prova desse fim de semana, ainda tínhamos um voucher que nos permitia ir do ponto de chegada à largada num ônibus climatizado, nos poupando da sensação de estarmos sem rumo ao fim de uma prova ponto-a-ponto, grande diferencial para as 10 Milhas, pois suas concorrentes diretas pouco ou nada fazem para mitigar esse transtorno de locomoção em provas nesses estilo.
Hora de crescer: 900m de Ladeira da Barra, nossa casa toda Sexta Feira.
O grande dia foi cercado por grandes dúvidas. Fiquei resfriado com a mudança climática e alguns deslizes alimentares cometidos desde Aracaju. No Sábado chovera bastante e ainda ensaiei com minha banda por 3h sem intervalos num geladíssimo ar condicionado. Comuniquei ainda na noite de Sábado a alguns amigos que talvez abortasse ou "miguelasse" a missão, contudo, devidamente medicado, levantei-me disposto e fui para a chegada onde já comecei a encontrar atletas e a me animar para o que viria. O café teve que ser lá mesmo antes de embarcar no bus oficial pq eram ainda 4h30, duas horas antes do horário da largada. As saídas dos ônibus foram um pouco lentas em relação ao anunciado e houve ônibus chegando muito em cima da hora para a largada. Mesmo não tendo sendo esse o motivo alegado, largamos com um leve atraso do Rio Vermelho, bairro boêmio da cidade que também respira esporte quase que 24h/dia por sua Orla tão linda quanto a da Barra, point favorito dos atletas daqui ou do Jardim de Alah, muito versátil para quem quer correr e ir embora sem perder tempo.
Volta a Volta
A estratégia era ver se desidrataria devido ao resfriado ou se ficaria febril, reação que tenho ao insistir em atividades físicas mesmo doente. Tinha 1h26 oficialmente nos 16km e qualquer coisa abaixo disso seria considerado RP já que em cinco anos não é pouco o que conseguimos evoluir até sem muita dedicação. Larguei para uns 5'/km e me senti estranhamente confortável, sem coriza e respirando bem. Esperava a Ladeira da Barra e seus 900m de infinita e variável subida para definir se os últimos 10km seriam progressivos, constantes ou se abdicaria de performance como planejara desde o dia anterior caso o corpo pedisse. A medida que via os atletas sucumbirem a Ladeira e eu parecer bem, acelerava para não ser contagiado com a dor deles... Como diz Dean Karnazes (ultra maratonista americano que correu 50 maratonas em 50 dias) "a miséria adora companhia" eu sempre acelero ao ver cenas assim, as vezes profiro algumas palavras de conforto, mas parte o coração mesmo. Me perdoem aqueles que param, ajudam a alongar, correm do lado: é a minha maneira de reagir.

Passados os 5km (conservadores para 24 altos) e a ladeira e sua recuperação, parti para o progressivo que tanto amo e compartilho como "estilo corrida" nas redes sociais. As voltas que outrora eram de 5' passaram a ficar abaixo dos 4'50'' e passei a marcar corredores que talvez pouco habituados ao calor da Cidade Baixa. Os via e os passava, motivação para continuar fazendo força e ainda gostava quando alguns corriam junto, pois ao menos conseguimos nos manter fortes por mais tempo (para essa parte gosto muito de ter companhia). Não sei se por estar desidratado do resfriado, mas achei o espaço entre a hidratação um pouco grande pro padrão de 2,5km que temos na cidade, mas nada que me impedisse de seguir com o plano. Tracei com a nutricionista a prova para 1h20 quando ainda estava sadio e com uma hidratação bem feita nos dias anteriores aguentaria a prova sem grandes reclamações tendo feito tudo certo, porém me convalesço com o atleta mais lento (maior consumidor de corridas de rua hoje) que se queixou da falta de água em alguns pontos, sendo obrigado a parar e comprar em pontos isolados do percurso: falha gravíssima! Mesmo prevendo a falta de consciência dos que pegam 4-6 copos para se banhar devido ao calor e dos pipoca intransigentes que além de espaço querem os itens pagos pelo corredor regularmente inscrito, imagino que pro tempo da galera que vi reclamando, pode sim ter havido falha na distribuição de água nos pontos onde tanto os 8km quanto os 16 passaram, porém espero pronunciamento oficial (ou extra) e retiro essas palavras aqui do blog, caso necessário seja.
"Que tiro foi esse?" Eu sempre atrasado em relação às modinhas. Foto por Foco Radical
A chegada foi regada a gritos e cliques espetaculares ao lado do Forte da Boa Viagem e não fosse uma ladeira escorregadia de paralelepípedos, teríamos tido um tiro emocionante na descida logo após a rampinha de acesso ao Farol da Ponta do Humaitá, ponto turístico sensacional da nossa Cidade Baixa. Não sei vocês, mas é uma euforia pelo fim que eu nunca vi baixar em mim, até porque, hoje eu escolho provas que são especiais para mim de alguma forma e esses metros finais sempre me fazem pensar bastante em pq escolhi viver assim, pq não vejo lucro algum em diminuir o ritmo disso e me dedicar a outros projetos e também a justificativa por chamar abertamente a corrida de "terapia", pois poucos sabem o quanto de pensamentos ruins a gente afasta quando tá ali coordenando mente e corpo para um objetivo que só nós sabemos o quanto vai remediar alguns momentos da vida onde parece que só a corrida não nos contraria.  Tudo valeu ainda mais a pena quando recebemos a linda medalha também. dessa prova que eu daria 8,5/10 pelas duas falhas bobas deles que pouco me afetaram. Torço bastante para que todo aniversário de Salvador possamos comemorar com esses 16km que cortam os pontos mais importantes do turismo da cidade!
Uma das medalhas mais bonitas de minhas quase 100.
Pausa nas competições! Finalmente! Agora sigo com treinos táticos ininterruptos para uma boa marca na Wings for Life e também começa uma importante readaptação rumo aos frios 42 de Porto Alegre. Obrigado pelas leituras que ainda continuam fortes, mesmo com o Instagram encurtando relatos como esse aqui em poucas linhas e também um abraço para os que torcem e sempre comentam feitos como esse. A vida é curta demais para a gente não tornar o dia de alguém mais especial: seja eu os motivando a sair da cama (como alguns já me dizem que faço) ou seja vocês reforçando o que eu já tenho como verdade - que todo esse esforço faz bastante sentido se trouxer o bem e a felicidade. Fiquem com Deus!

Comentários